Baía da Barca
Newsletter
Login
Instagram Baía da Barca Youtube RSS feed

DRACO E OS ELEMENTOS

Em 2008, aquando da construção do Baía da Barca, procedeu-se ao transplante de dois dragoeiros para a zona da piscina que se mantêm actualmente. Durante este procedimento, o que está situado junto ao solário natural, virado para o mar (Draco), foi ferido no tronco devido à dificuldade no seu transporte. Tratou-se a zona ferida na esperança de sobreviver.

Os anos passaram e embora a folhagem do lado virado ao mar nunca se tenha restabelecido, felizmente o Draco têm-se desenvolvido e sobrevivido juntamente com o Baía da Barca a todas as intempéries da vida.

Esta árvore é para nós um símbolo de resiliência e uma fonte de inspiração. Talvez uma vontade de viver e gratidão por todo o amor que lhe foi dado ao longo dos anos, no seu tratamento e com o cuidado utilizado no contorno do varandim em volta dos seus ramos e a utilização de uma rede, protegendo-o do sal do mar nos primeiros anos, quando ainda estava frágil.

É aqui que começa uma nova percepção da energia entre o ser humano e os seus elementos, que culmina em alcançar uma experiência de harmonia e serenidade restabelecendo um equilíbrio emocional e espiritual a quem se deixa libertar pela oportunidade de carregar as suas energias através da natureza.

Proteção das Zonas Verdes

 

UM ARQUIPÉLAGO DE LIGAÇÕES, UMA ILHA DE CONEXÕES

A ilha do Pico é uma das 9 ilhas dos Açores, que para além da sua majestosa e misteriosa montanha, emana uma energia natural percetível a todos os que a visitam. Os 4 elementos (terra, fogo, água e ar) estão bem presentes, assim como a verdadeira essência da vida e a ligação do ser humano com a natureza, que pode ser vivenciada de forma genuína por toda a ilha.

O contacto e a proximidade ao mar serviu de inspiração para um novo conceito de ligação de todos os nossos hóspedes aos elementos naturais e aos seus benefícios.
Assim, o Baía da Barca aliou-se a esta conjugação entre o ser humano e a natureza através das medidas sustentáveis já implementadas no seu funcionamento, no respeito e contacto com os elementos naturais e na possibilidade de poder experimentar a ligação com os mesmos também neste seu refúgio.

Os elementos são uma parte integrante da matéria e do universo físico, e o corpo humano sendo uma criação física existente no reino material, contém também todos os quatro elementos. Manter um equilíbrio entre esses elementos é essencial para garantir o bem-estar físico e psicológico, pois a ruptura da delicada harmonia dos elementos dá origem a doenças e mau estar.

Com isto, o nosso objetivo é tentar alcançar a harmonia e equilíbrio a nível espiritual, de forma a expandirmos a nossa consciência e consequentemente atingir o éter (serenidade e paz).

Desta forma, o Baía da Barca decidiu criar uma experiência de relaxamento alinhada com os 4 elementos.

Irão estar ao seu dispor algumas práticas que poderá fazer nos locais destinados a cada elemento (como pode observar no mapa) ou também no conforto do seu quarto.

Convidamos-lhe a experienciar, relaxar e partilhar esta experiência.

 

Veja os nossos Elementos

 

Terra

Terra

O elemento Terra representa a nossa ligação com o corpo físico, com as nossas bases e orientações da vida diária. É também símbolo de firmeza, força, determinação, objetividade e estabilidade.

Assim como as árvores precisam de desenvolver raízes robustas, para crescerem belas, saudáveis e altas, também nós devemos criar essas mesmas bases, para nos sentirmos seguros e amparados para crescer. Ao criar raízes profundas, um corpo saudável e um forte senso de identidade, estamos seguros nós próprios, onde quer que as nossas jornadas nos levem.

Desta forma, convidamos-lhe a experimentar o “earthing1 ”, enquanto realiza a seguinte prática.

De pés descalços, posicione-se no quadrado de areia, de frente para o oceano. Feche os olhos. Faça três respirações profundas. Visualize o planeta Terra e imagine-o como uma esfera azul e luminosa. Enquanto inspira, a esfera fica maior, enquanto expira ela diminui. Você e o planeta estão a respirar juntos e em harmonia. Deposite agora, no centro da Terra, todas as suas preocupações e ansiedades. Abandone esses medos, permita que se dissolvam no centro da Terra.  Agora deixe a sua respiração trazer-lhe vitalidade e firmeza. Finalize, agradecendo a sua vida aqui na Terra.

 

1 - ”Earthing” - é o ato de estabelecer uma ligação física entre si e a energia natural da Terra, entrando em contacto com a superfície, de pés descalços.

 

 Fogo

Fogo

Este elemento esta obviamente associado ao calor, luz e energia. Mas nós, filhos de ilhas vulcânicas, forjadas pela lava, acreditamos que o fogo simboliza o principio gerador da vida , nomeadamente a origem da ilha montanha e as suas restantes, assim como a origem do próprio Baía da Barca, construído sobre o basalto negro. Ele é a força de arranque, aquilo que nos move e alimenta a nossa paixão por este sonho, permitindo-nos continuar a acreditar.

Para realizar as seguintes práticas dirija-se ao poço de fogo.

Escreva num pedaço de papel alguns pensamentos/aspectos da sua vida que não lhe agradam. De seguida, queime o papel, visualizando a libertação dos mesmos da sua vida. De seguida, escreva afirmações positivas que acendam o seu fogo e que lhe tragam uma sensação de bem-estar.

“Respiração do Fogo”

Sente-se confortavelmente, num dos bancos de pedra, com as costas retas. Solte os ombros e o pescoço. Coloque as mãos em cima dos joelhos, com as palmas voltadas para cima (pode também colocar uma mão na barriga para senti-la subir enquanto respira).

Inspire pelo nariz, expandindo a barriga. Sem fazer uma pausa, expire com força pelo nariz enquanto contrai os músculos abdominais. Mantenha a mesma duração da inspiração e da expiração. Comece por praticar esta respiração por um período de 1 a 3 minutos e vá aumentando consoante as suas capacidades. Se se sentir tonto ou com vertigens, faça uma pausa, beba água e respire normalmente. Algumas dessas sensações são normais, enquanto o seu corpo se ajusta a nova respiração, e também resultado de libertação de toxinas e outros químicos, através desta técnica.

(Esta técnica é contraindicada para gestantes ou mulheres que estejam menstruadas. Também não é recomendada para pessoas que sofram de hipertensão, epilepsia e doenças cardiovasculares.)

 

Água

Água

Elemento que representa o sonho, cura, purificação, regeneração, mudança, fertilidade, amor incondicional.

Ainda no ventre da nossa mãe começa a nossa ligação a este elemento, além disso o nosso corpo físico é composto de mais 60% água e o planeta onde vivemos 70%.

Para o Baía da Barca este elemento é particularmente importante, pois além de estarmos em contacto com ele todos os dias, é também nele que vamos buscar muita da nossa inspiração diária.

A seguinte prática trata-se de uma meditação simples, mas a verdade é que só de estar neste local, ver e ouvir as ondas a bater, sentir o cheiro da maresia e até simplesmente molhar o corpo nesta água, só por si já é bastante revitalizante.

Sente-se confortavelmente. Respire e concentre-se no som do mar durante 5 minutos.

Tente esvaziar a sua mente. Quando pensamentos interferirem, volte a concentrar-se no som do mar. Deixe que este som relaxe profundamente o seu corpo e a sua mente em cada inspiração. Permita que este contacto com o mar, com o elemento água o faça sentir melhor fisicamente e espiritualmente. Quando se sentir preparado, termine a sua meditação.

 

Ar

O ar é o elo de ligação entre o visível e invisível. Representa o momento de renovação, através do processo de respiração que transporta o oxigénio essencial à sobrevivência e reprodução das células. Quanto mais renovado, mais capacidade funcional tem o plano mental, nas suas ideias, criatividade e imaginação. Só podemos criar, quando nos libertamos do velho e já estabelecido, para aceitar novas formas de pensar, ser e estar.

Comece por respirar de forma suave, pelo nariz, sentindo o fresco do ar. Visualize-se a respirar por todos os poros. Deixe que todo o seu ser respire, recebendo a energia que está a sua volta e permita que essa respiração global purifique o seu organismo das toxinas retidas. Permita que o ar circule pelos seus órgãos internos. Respire em comunhão com o Universo. Agora observe o seu ritmo respiratório e vá retornando lentamente ao seu corpo físico. Agradeça este momento de conexão profunda com a sua respiração.

 

Dracaena draco

(DRAGOEIRO)

 

O dragoeiro deve o seu nome à cor da sua seiva, que depois de oxidada por exposição ao ar forma uma substância pastosa de cor vermelho sangue, constituída maioritariamente por éteres, e outras substâncias, entre as quais a dracenina.  

Na Idade Média, o na altura chamado “sangue de dragão”, foi muito comercializado e apreciado para vários fins, não só medicinais, mas também para tingir tecidos, envernizar violinos e até em rituais de magia e alquimia. Durante muitos anos, foi mantido o segredo sobre a sua origem, levando as pessoas a acreditar que era mesmo sangue de dragão e assim usufruir melhor dos seus benefícios e curas.

Nos Açores existem alguns exemplares famosos, nomeadamente na zona da praia de Água de Alto, na ilha de São Miguel e no Museu do vinho, na Ilha do Pico, um bosque de dragoeiros centenários. Foram classificados, pelo parlamento Açoriano como àrvores protegidas, no entanto, algumas dúvidas permanecem sobre se estes exemplares serão descendentes de exemplares nativos ou se esta espécie foi introduzida pelo ser humano.

 

Draco

Está em... Entrada Entrada Draco e os Elementos